Les CRIs de Starbucks résistent à la tentative légale de récupérer leur valeur, selon un investisseur FII

Ads

Os CRIs da Starbucks estão seguros contra uma tentativa legal de recuperação do valor por parte do operador, de acordo com um investidor FII nos títulos da empresa.

No relatório geral, o fundo também indicou que os títulos são sólidos e manteve sua previsão de ganhos.

A administração do fundo, liderada por Riza Akin (RZAK11), fez seus primeiros comentários públicos sobre o status dos CRIs da Starbucks (certificados imobiliários comerciais) mantidos na carteira do fundo.

Nesta semana, o operador dos restaurantes no Brasil, SouthRock Capital, entrou com um pedido de recuperação judicial, alegando uma dívida de R$1,8 bilhão. Mas o tribunal decidiu contra a empresa e exigiu mais detalhes sobre sua saúde financeira.

Os gestores do (RZAK11) reafirmaram na sexta-feira (3 de março) sua afirmação de que os títulos emitidos pela empresa não estão sujeitos ao processo de recuperação judicial em andamento e estão, por enquanto, integralmente pagos.

A carteira de CRIs do fundo não está sujeita ao processo de recuperação judicial e, portanto, não está incluída no escopo da concorrência, confirma o documento. O texto é complementado com “Todos os CRIs permanecem integralmente adimplentes em suas respectivas parcelas”.

As empresas frequentemente utilizam os CRIs como ferramenta para captação de recursos no mercado. Elas agrupam seus recebíveis futuros nesse instrumento de dívida e os vendem para investidores como fundos de investimento imobiliário.

Em geral, os títulos possuem uma taxa de retorno mensal prefixada e são corrigidos por um indicador que normalmente é a taxa do CDI (Certificado de Depósito Interbancário) ou o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

O RZAK11 possui três CRIs da SouthRock em sua carteira, Starbucks III, IV e V. O valor total dos títulos é de R$ 814.000.000,00, o que representa 6,51% dos ativos líquidos do fundo de acordo com o relatório mais recente do trustee.

Até o final de outubro, o valor dos títulos representava um total de R$ 50.189.000.000, segundo o documento.

Diante da situação atual, as ações do RZAK11 caíram mais de 7% nos últimos dois pregões, de uma alta de R$ 92,59 para uma baixa de R$ 86,34 no fechamento do pregão de sexta-feira (3 de março).

No entanto, o incidente com os CRIs da Starbucks não teve impacto suficiente na projeção atualizada dos retornos do fundo para 2023.

Espera-se que as distribuições do fundo continuem na taxa atual de R$ 1,30 por cota até dezembro, com uma faixa esperada de R$ 1,20 a R$ 1,40 por mês.

O parágrafo enfatiza que a quase confirmação de um “kicker” significativo em nosso catálogo é responsável pela previsão otimista de distribuição para os próximos meses, mas não fornece mais detalhes sobre o assunto. Os canais oficiais anunciarão o vencedor assim que o “kicker” for confirmado, promete o governo.